Esboço Para Pregações

12 RAZÕES QUE LEVAM UM CASAMENTO AO FRACASSO

Introdução

A família é a matriz social, a mais importante agência socializadora; os pais transferem para os filhos herança biológica, psicológica, cultural e espiritual. Ela é projeto de Deus e alvo de Seu amor e zelo. É importante para o casal edificar um relacionamento profundo, harmônico, saudável e verdadeiro com base na imutável Palavra de Deus. Tendo em vista esse objetivo, e como medida preventiva, vamos analisar quais são os doze principais motivos que levam um casamento ao fracasso.

Casamento é:

A união voluntária e estável de um homem e uma mulher, nas condições sancionadas pelo direito, de modo que se estabeleça uma família. Etimologicamente, a palavra casamento é derivada de casa, enquanto matrimônio tem origem na palavra latina mater. (mãe).

  1. Entre outros comportamentos que levam o casamento ao fracasso estão:

1.1 – A falta de amor

O amor é a essência de Deus e a base para todos os relacionamentos saudáveis, profundos e verdadeiros. Quem ama nasceu de Deus (1 Jo 4.7).

Subsídio teológico

Quando falamos de amor, não estamos referindo-nos simplesmente a um sentimento de bem-querer em relação ao outro pelo qual nutrimos empatia e simpatia, e sim a algo profundo e enraizado em Deus. É o amor ágape registrado em 1 Coríntios 13.4-7.

1.2 — A falta de compatibilidade

Compatibilidade é a capacidade das pessoas de unir-se e funcionar em conjunto, promovendo o bem e o crescimento mútuo. Ser compatível não significa ter os mesmos dons e habilidades que o outro, e sim possuir objetivos comuns e cooperação. Biblicamente, são incompatíveis a luz e as trevas, a justiça e a injustiça (2 Co 6.14-16).

1.3 — A falta de comunicação

Existem casais cuja comunicação simplesmente não existe. A comunicação é vital para o desenvolvimento intelectual e emocional do ser humano. Precisamos usar a linguagem verbal e gestual. Abrir o coração para ouvir o outro é saudável. É como maçã de ouro em salvas de prata

(Pv 125.11).

1.4 — A violência verbal e física

Há casais que, além de não dialogarem, só se falam para agredir um ao outro com palavras hostis e depreciativas que, às vezes, descambam em agressão física. A morte e a vida estão no poder da língua (Pv 18.2 1). Irai-vos e não pequeis (Ef 4.26).

1.5 — A falta de intimidade

A falta de intimidade sexual entre os casais é outro fator que tem levado muitos casamentos ao fracasso. A Palavra de Deus diz: Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne (Gn 2.24).

A expressão uma carne faz referência à união conjugal, a qual representa, simbolicamente, a união mística entre Cristo e a Igreja (Ef 5.22,23).

Vejamos alguns princípios da intimidade:

1.5.1 — O marido deve ser benevolente com a mulher (1 Co 7.3)

1.5.2 — Os cônjuges não podem vedar o seu corpo um ao outro (1 Co 7.4)

1.5.3 — A sexualidade não deve ser suprimida da vida do casal (1 Co 7.5)

1.5.4 — Ninguém pode ditar regras na intimidade do casal (Mt 19.5)

Subsídio doutrinário

Alguns costumam usar o texto de Hebreus 13.4 para condenar a intimidade do casal. O leito sem mácula citado nesse versículo refere-se ao leito onde há fidelidade, ou seja, onde não há prostituição ou adultério. Roman os 1.26 é um texto bastante citado pelos fanáticos. Porém, o que Paulo contesta aqui é o homossexualismo.

1.5.5 — A mulher tem preferência na relação íntima

A mulher deve receber a honra como vaso mais fraco (1 Pe 3.7).

1.6 — A infidelidade

Constitui-se adultério qualquer relação extraconjugal praticada por uma pessoa casada com outrem que não seja seu cônjuge. A Palavra de Deus fala sobre isso em Mateus 5.27,28.

1.7 — A inversão de papéis

A durabilidade do casamento também depende muito do modo como a mulher e o homem desempenham os seus papéis. O papel social do homem é proteger, prover e liderar; e o papel social da mulher é auxiliar na proteção, na provisão e na liderança do lar, agindo com sabedoria (Pv 14.1).

1.8 — A independência total dos cônjuges

A total independência dos cônjuges em relação ao outro é mais um motivo que tem levado muitos casamentos ao fracasso. Todos os bens precisam ser compartilhados com os cônjuges. Até porque, se um deles sofrer algum acidente, tiver alguma enfermidade ou vier a falecer, o outro passará dificuldades para resolver os problemas financeiros da casa; o mesmo ocorre no caso de separação.

1.9 — A má administração financeira

Quando um dos cônjuges não trabalha e quer controlar o salário do outro ou gastá-lo com coisas supérfluas, não seguindo o orçamento, a crise se instala. Deve-se gastar com o essencial alimentação, moradia, transporte, contas de consumo, despesas médicas etc.

1.10 — Os desrespeitos e as interferências externas

O desrespeito dentro de casa começa quando um cônjuge diz: “Não quero”, e o outro diz: Mas eu quero, e vai ser assim”. Esses desmandos acabam desgastando o relacionamento.

Já os pais não devem intrometer-se em questões conjugais dos filhos. E os cônjuges, por sua vez, precisam estar coesos e viver em sintonia, a fim de evitar esses abusos.

1.11 — A preferência por filhos

Imagine um pai que apóia uma filha mesmo quando ela está errada, quando não convém apoiá-la para não desautorizar a esposa, ou vice-versa. Ele não acha nada demais, por exemplo, deixar a menina passar uma semana na casa da amiga. No entanto, a mãe insiste em impor limites à filha, e acaba discutindo com o marido. Em vez de brigar na frente do filho em detrimento do outro, o casal deve procurar a melhor maneira de educá-lo.

1.12 — Não priorizar a Deus e as coisas espirituais

Há casais que se esquecem de princípios importantes revelados no Salmo 127.1 e em Mateus 6.33. Se Deus sair da nossa rotina, não conseguiremos superar os inúmeros desafios da vida. Só Ele pode edificar a nossa casa.

Conclusão

Temos de ser sal e luz para este mundo, onde se promove a demolição dos valores cristãos, o egoísmo, a perversidade, a violência, a pornografia e a desagregação familiar. Precisamos aperfeiçoar cada vez mais os nossos relacionamentos conjugais e familiares, a fim de que os homens nos considerem como um referencial positivo, e Deus seja glorificado em nossa vida.

 

SEPARADOR_DE_TEXTO

A BÍBLIA PERDIDA NA CASA DO SENHOR 

Texto Básico: 2 Reis 22.8-10

Introdução: Lemos neste texto o relato de algo que nunca poderia ter acontecido no meio do povo de Deus.

  1. a) A Escritura Sagrada havia sido desprezada e os governantes faziam o que lhes dava na cabeça.

    b) O povo se comportava como determinavam os seus líderes.

    Uma Bíblia perdida na casa do Senhor tinha algumas implicações sérias na vida do povo Judeu

    ERA SINAL DE QUE NÃO ESTAVA SENDO LIDA E REFLETIDA PELO POVO DAQUELA E DAS GERAÇÕES ANTERIORES

    1. Toda vez que a Igreja ou uma pessoa deixa de lado as Sagradas Escrituras as consequências mais dolorosas acontecem. EX: A Nação Norte-americana.

    2. Lutero encontrou a Bíblia abandonada numa Biblioteca.

    A Bíblia, hoje, tem estado perdida na vida de muitas pessoas que a têm apenas como enfeite de estantes. Por isso vemos a tão baixa qualidade de crentes por causa do pequeno número de pessoas que a leem, estudam e nela meditam..

  2. ERA SINAL DE QUE A VERDADEIRA ADORAÇÃO HAVIA DADO LUGAR A OUTROS DEUSES EM LUGAR DO DEUS VIVO 

  1. Naquele tempo, quando o livro da Lei estava perdido na Casa do Senhor, em Jerusalém, o Culto ao Deus vivo havia substituído pelo culto a Baal, Astarote, a rainha dos céus, Milcom-Moloque e tantos deuses da terra. II Reis 22.17

  2. Basta lermos o livro de Reis e vermos esta situação caótica. As pessoas sacrificavam seus filhos jogando criancinhas inocentes na boca de Moloque que era uma estátua de bronze, oca e cheia de fogo.

    3. Havia pompa na liturgia do culto em Jerusalém: coral de levitas, tamboris, pandeiros, címbalos, etc., mas pouca leitura, ou melhor, nenhuma leitura, nenhum estudo, nenhuma meditação em torno da Palavra de Deus.

    III. A RECUPERAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS DEU ORIGEM A UM GLORIOSO REAVIVAMENTO

    1. Depois que Josias tomou conhecimento do que Deus determinava em Sua Palavra fez uma devassa enorme:

    a.. Derribou os postes-ídolos, tirou fora as estátuas dos deuses de outros povos. II Reis 23.4-6. Vers. 13

    b.. Acabou com os prostitutos cultuais. Vers. 7

    c.. Matou os falsos sacerdotes, Vers. 20

    d.. Eliminou o espiritismo exercido por médiuns, adivinhadores e similares. Vers. 24

    2. E acima de tudo, restaurou e celebrou a Páscoa do Senhor o maravilhoso símbolo da Aliança do Povo de Israel. Vers. 21

    Conclusão:
    O que você tem colocado no lugar do Deus vivo? Onde está a tua Bíblia: numa prateleira ou no seu coração?

SEPARADOR_DE_TEXTO

A COMUNHÃO NA IGREJA

Referência: I JOÃO 1.3

Existem pessoas que estão longe de Deus e longe das pessoas. Outras estão perto de Deus e longe das pessoas. Outras estão longe de Deus e perto das pessoas. Devemos estar perto de Deus e perto das pessoas.

  1. COMUNHÃO COM DEUS

    a) Enoc – Gn 5.24

    b) Noé – Gn 6.9

    c) Abraão – Gn 17.1

    d) Moisés – Ex 33.11-23

    e) Robert McKeyne, David Brainerd, Finney

  2. COMUNHÃO COM O FILHO

    a) Somos um só espírito com o Senhor – I Co 6.17.

    b) Ele habita em nossos corações – Ef 3.16-19.

    c) Ele ceia conosco – Ap 3.20.

    d) Figuras: NOIVO-NOIVA; VIDEIRA-RAMOS; CABEÇA-CORPO.

III. COMUNHÃO COM O ESPÍRITO SANTO
a) Fomos batizados no corpo pelo Espírito e bebemos do mesmo Espírito – I Co 12.13.

  1. b) Comunhão do Espírito – II Co 13.13

  2. c) Fp 2.1.

  3. COMUNHÃO COM OS SANTOS

    a) É o modo natural de viver daquele que tem um encontro com Jesus – At 2.42,46.

    b) Para ter comunhão com os irmãos, é preciso andar na luz – I Jo 1.7.

    c) Exige esforço conjunto – Ef 4.15,16.

    d) Exige correção de pecados – Ef 4.25-32.

    e) Envolve socorro em coisas materiais – I Jo 3.17; Rm 12.13; II Co 8.4; Gl 2.10; At 11.29,30.

  4. MUTUALIDADE DA COMUNHÃO

    a) Somos membros uns dos outros – Rm 12.5.

    b) Amai-vos cordialmente (filostorgoi) uns aos outros – Rm 12.10.

    c) Preferindo-vos em honra uns aos outros – Rm 12.10.

    d) Tende o mesmo sentimento uns para com os outros – Rm 12.16; 15.5.

    e) Acolhei-vos uns aos outros como também Cristo nos acolheu – Rm 15.7.

    f) Saudai-vos uns aos outros com ósculo santo – Rm 16.16.

  5. QUANDO A COMUNHÃO NÃO É RECOMENDADA

    a) Quando as amizades são com pessoas ímpias – Sl 1.1-3.

    b) Quando a outra pessoa se diz crente, mas não vive como tal – I Cor 5.6-11.

    c) Quando a outra pessoa tem uma vida comprometida com práticas de pecado – Ef 5.5-14; II Co 6.14.

    d) Quando a outra pessoa não tem cuidado com a língua – I Co 15.33; Pv 20.19.

    e) Quando a outra pessoa resiste ouvir e obedecer a Palavra de Deus – II Ts 3.14; Pv 13.20.

    f) Quando a outra pessoa é semeadora de contendas – Pv 6.16-19.

CONCLUSÃO 
Fp 2.1-5.

SEPARADOR_DE_TEXTO

 

A MULHER VIRTUOSA

Texto base: Provérbios 31.10-31

VIRTUOSA: Pessoa que possui e cultiva qualidades de virtude (moral, religiosa, social, etc). Valorosa, esforçada e efetiva.

Vamos analisar a Mulher Virtuosa como:

Esposa; Mãe; Trabalhadora; Serva de Deus.

I – A MULHER VIRTUOSA COMO ESPOSA

  1. Tem a confiança e o respeito do marido. Vers. 11.

As bases do relacionamento conjugal são a confiança e o respeito mútuo, pois a fidelidade é um dos pilares do casamento.

Onde impera a desconfiança e o desrespeito, o casamento está fadado ao fracasso.

  • Além de significar “confiar”, a palavra hebraica batach também expressa as idéias de “sentir-se seguro” ou “estar despreocupado”.

  1. Tem a admiração e o reconhecimento do marido. Vers. 29.

Uma das formas de se demonstrar amor no casamento é reconhecer a importância e o valor do cônjuge.

E o esposo cristão deve reconhecer essa importância através de atitudes e palavras que a faça feliz.

Enquanto os homens são movidos pelo que veem, as mulheres respondem melhor pelo que ouvem! Por isso é importante que o esposo elogie sua esposa sempre.

  • VOCÊ JÁ DISSE HOJE A SUA ESPOSA QUE VOCÊ A AMA!

  • O marido da mulher virtuosa deve sempre elogia-la tanto no lar quanto em público. Vers. 28; 29

  • Mas o homem que destrata sua esposa arruína o casamento e peca contra Deus (1 Pedro 3.7) –

 “Igualmente vós, maridos, coabitai com elas com entendimento, dando honra à mulher, como vaso mais fraco; como sendo vós os seus co-herdeiros da graça da vida; para que não sejam impedidas as vossas orações”.

Sua mulher é preciosa para você e para Jesus, ame-a como Cristo ama a igreja. (Ef 5.25) Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela”.

  • Trate-a com doçura e com carinho (Cl 3.19)

“Vós, maridos, amai a vossas mulheres, e não vos irriteis contra elas”. 

II – A MULHER VIRTUOSA COMO MÃE

  1. Toda mulher sábia é uma edificadora. Toda mulher sábia edifica sua casa, mas a tola derruba-a com a suas mãos (Pv 14.1).

  1. É educadora.

  • A primeira e grande tarefa que a esposa tem como adjutora, na EDIFICAÇÃO DO LAR é na EDUCAÇÃO E CRIAÇÃO DOS FILHOS ao lado do marido. Abraham Lincoln.

Ex: Timóteo: “E que desde a tua meninice sabes as sagradas Escrituras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus.” (II Timóteo 3.15).

A Mulher sábia educa os filhos não só com palavras, mas com seu exemplo de vida.

  1. É afetuosa.

  2. Demonstra carinho pelos filhos.

III – A MULHER VIRTUOSA COMO TRABALHADORA

  1. Não é preguiçosa. Vers. 27.

  2. É boa dona de casa. Vers. 13; 19; 21; 22.

  3. Tem cuidado com a sua família. Ex: Almoço e janta na hora certa; filhos banhados e agasalhados etc…

  4. É empreendedora. Vers. 16; 24

IV – A MULHER VIRTUOSA COMO SERVA DE DEUS

  1. Dá um bom testemunho, tanto na família como na sociedade.

É elogiada pelos filhos e pelo esposo. Vers. 28; 29.

  1. É temente a Deus. Vers. 30

Anúncios